Material do IBRAM reforça importância do calcário também na mineração

Embora seja basicamente utilizado na agricultura, o calcário é um dos itens mais importantes para a mineração brasileira. As cerca de 250 empresas do segmento atuam de forma coordenada, fazendo com que o produto gerado tenha participação positiva também no resultado final dos negócios da mineração.

Na última semana, o Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) concluiu levantamento de dados para sua nova apresentação. A Associação Brasileira dos Produtores de Calcário Agrícola (Abracal) é associada do instituto e enviou conteúdo para a elaboração do material, a ser utilizado em eventos e feiras.

Segundo estudo do instituto, três tipos de minérios dominam a produção – ferro, ouro e cobre. O quarto colocado é o calcário, que foi responsável por aproximadamente 2% da produção mineral brasileira em 2021.

A movimentação das empresas de calcário atingiu R$ 6,1 bilhões na produção, gerando aos cofres públicos tributos que beiram os R$ 133 milhões somente da Contribuição Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), segundo relato da revista Brasil Mineral.

O IBRAM tem 46 anos de atuação, sendo uma organização privada, sem fins lucrativos. Reúne mais de 120 associados, responsáveis por 85% da produção mineral do país, que, segundo o slogan da entidade, trazem “a essência e a força da verdadeira mineração do Brasil”.

Nas próximas semanas, a Abracal divulgará os dados completos da atuação da indústria do calcário agrícola em 2021. No conjunto, a mineração brasileira movimentou no ano passado perto de R$ 340 bilhões, com alta de 62% na comparação com o ano anterior.

Porém, o setor é mais que números. O instituto reforça a atuação dos associados “por uma mineração alinhada à sustentabilidade e indutora das boas práticas de ESG (meio ambiente, responsabilidade social e governança) em tudo o que faz”.

O IBRAM trabalha também para fortalecer as relações entre mineradoras e os diversos públicos, como seus profissionais e fornecedores, o governo e a sociedade.

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.